Um ano fora do sofá

Artigo de Inês Santos e Gonçalo Oliveira

Com esta edição de Janeiro, a rubrica “Além do Sofá” completa um ano de presença no Mensageiro de Santo António. Tudo começou com duas questões bastante relevantes e de fundamental resposta: “Quem são os jovens de hoje?” e “Porque é que a sua atenção não está virada para a Igreja?”.

Com este mote, demos a conhecer várias áreas de interesse dos jovens: a importância da música para a oração e a participação na missa; a procura de voz no caminho de sinodalidade da Igreja; a tomada de decisão da entrada para o ensino superior que se revela para muitos um bicho de sete cabeças; as expectativas para a JMJ Lisboa 2023; a experiência enriquecedora de caminhar até Santiago de Compostela e, por fim, o que constitui uma comunidade, em especial a comunidade cristã.

Os autores querem, desde já, deixar um agradecimento ao MSA pelo convite que foi feito e também um obrigado a todos os leitores que nos têm acompanhado.

Um novo ano começa e com ele vem um discernimento das nossas prioridades como também inevitavelmente um número de resoluções. 2023 vai ser um ano especial para Portugal e para a comunidade cristã. Com a Jornada Mundial da Juventude, vamos receber simultaneamente o maior evento jovem do mundo e o maior evento que Portugal já teve o privilégio de organizar.

Isto significa que a Igreja vai ser o centro das atenções de todo o mundo, durante pelo menos uma semana e meia. Não haverá oportunidade igual para mostrar quem é a Igreja de hoje e de como está assente na alegria e na juventude.

Este evento vai mover todo o país para trabalhar em conjunto e acima de tudo, mostrar uma prova de confiança em acolher jovens de todo o mundo nas nossas casas.
Estamos ansiosos para ver os frutos que este evento vai trazer em chamar a atenção dos muitos jovens que se têm afastado da Igreja ou que nunca lhe deram a devida atenção. A imagem da Igreja tem que ser uma imagem unida, alegre, aberta e fundamentada no amor de Deus e no exemplo de vida que é Jesus.

Nem tudo será sobre a JMJ. Há muitos assuntos que estão bem vincados entre os jovens e que merecem a atenção de todos sem exceção.

Não podemos esquecer que o ano de 2022 viu o agravamento dos conflitos militares entre a Ucrânia e a Rússia que permitiram à causa humanitária uma crescente relevância.
A nível das alterações climáticas, os jovens têm sentido uma força condutora à atuação e mudança nos vários sistemas que os rodeiam e que se mostram pouco sustentáveis. Igualmente a nível tecnológico, há novas preocupações sobre o impacto do uso excessivo do telemóvel e das redes sociais no comportamento social dos mais novos e, consequentemente, o que o mesmo significa para o futuro das relações interpessoais e das capacidades cognitivas. Por fim, e não menos importante, temos a crescente despreocupação dos jovens pela política e pela formação pessoal ética e moral que regem a sua vida e crenças.

Para nós, o Mensageiro de Santo António faz um dos papéis mais importantes da Igreja − o da divulgação da fé cristã e da evangelização da comunidade.

Da nossa parte, queremos trazer, por escrito, todas estas modalidades e ter sempre presente uma opinião crítica e um contributo informativo e didático para os jovens. Vamos também trazer outras vozes para dar testemunho ou para falar sobre assuntos que necessitam de um maior entendimento que os autores não conseguem dar.

Sem dúvida que esta rubrica tem sido para nós, autores, um grande desafio, mas especialmente uma ferramenta de aprendizagem. Esperamos que o seja também para vós, leitores, e que continuemos a proporcionar vos esta sensação de “desconforto” ao sair do sofá.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: