Santo António, um dos patronos da JMJ Lisboa 2023

A preparação, a realização e o dinamismo de cada Jornada Mundial da Juventude são confiados a patronos, santos e santas canonizados ou com esse processo em curso. Santo António é um dos patronos da JMJ Lisboa 2023.

Escolhidos pelo Comité Organizador Local (COL), são 13 os patronos da JMJ Lisboa 2023, mulheres e homens, jovens e adultos, nascidos na cidade que acolhe a jornada mundial da juventude ou que, naturais de outras geografias, são modelos para a juventude.

Os patronos escolhidos para a JMJ Lisboa 2023 são apresentados por D. Manuel Clemente, cardeal-patriarca de Lisboa, num texto que prefacia um livro publicado conjuntamente pela Paulinas Editora e pela Paulus Editora.
Sobre Santo António de Lisboa, escreve D. Manuel Clemente:

Realizando-se em Lisboa, a Jornada terá o apoio celestial de alguns santos lisboetas, que daqui partiram para anunciar a Cristo. Como Santo António, nascido por volta de 1195, que mais tarde seguiria, já franciscano, rumo a Marrocos primeiro e logo de seguida para a Itália, o Sul de França e de novo Itália, convertendo muita gente ao Evangelho que vivia e pregava. Faleceu em Pádua em 1231 e um ano depois já tinha sido canonizado, tanta era a certeza da sua santidade. O papa Leão XIII chamou-lhe “o santo do mundo inteiro”.

Patronos da JMJ 2023
Patronos da JMJ 2023

Para além de Santo António, são patronos da JMJ Lisboa 2023:

  • São João Paulo II, “a quem se deve a iniciativa das Jornadas, que têm reunido e animado milhões de jovens dos cinco continentes”;
  • São João Bosco, “que São João Paulo II declarou ‘Pai e Mestre da Juventude’;
  • São Vicente, diácono e mártir do século IV, “que sendo padroeiro da diocese a todos acolherá e reforçará com a sua caridade e testemunho evangélico”;
  • São Bartolomeu dos Mártires, dominicano e arcebispo de Braga, que “partiu para Trento, tomando parte na última fase (1562-63) do Concílio que ali quis reformar a Igreja, tornando os pastores mais próximos das ovelhas, como o Evangelho requer e tanto insiste o Papa Francisco”;
  • São João de Brito, jesuíta, que “partiu para a Índia, para anunciar Cristo”.

D. Manuel Clemente apresenta também alguns bem-aventurados (beatificados), naturais de Lisboa e que, por isso, foram escolhidos para patronos: Joana de Portugal, João Fernandes, jovem jesuíta que foi martirizado em 1570; Maria Clara do Menino Jesus, fundadora das Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição.

“A estes jovens lisboetas que ‘partiram’ como a Mãe de Jesus, quer na geografia do mundo quer na geografia da alma, para levarem Cristo a muitos outros, juntam-se padroeiros de outras origens, mas do mesmo Reino”: o bem-aventurado Pedro Jorge Frassati, Marcel Callo, Chiara Badano e Carlo Acutis.

“No tempo de cada um, os Patronos da JMJ Lisboa 2023 demonstraram que a vida de Cristo preenche e salva a juventude de sempre. Com eles contamos, com eles partimos!”, conclui D. Manuel Clemente.

%d blogueiros gostam disto: