Oração

Senhor,
De rastos, assim bem do meu tamanho,
Te peço o milagre enorme
Que ressuscite
A criança que fui e que em mim dorme.
O menino galrejante.
O patetinha inocente
Que brincava às escondidas
À vista de toda a gente;
Menino das mãos em flor
E do coração de arminho
Que tinha na alma o fim
E o princípio do caminho;

O menino que rezava
“Eu creio”
E só por crer já não estava
Amarrado
Às gaiolas doiradas do seu meio.
Senhor,
De rastos, assim bem do meu tamanho,
Te peço o milagre enorme
Que ressuscite
A criança que fui e que em mim dorme.

Mas se acaso eu não puder
Voltar a ser
O espelho do Menino Jesus de Nazaré:
Que eu seja o Teu Amor
Feito perdão
No encanto sem igual da minha fé.

%d blogueiros gostam disto: