O Papa não pára

A Economia de FranciscoPacto com os jovens, em Assis

No sábado, 24 de setembro, o Papa Francisco esteve em Assis para o encerramento do Encontro “A Economia de Francisco”, onde assinou com os jovens um Pacto no qual se comprometem a gastar as suas vidas para que a economia de hoje e de amanhã se torne uma Economia do Evangelho, assente em 12 pilares:

  • uma economia de paz e não de guerra,
  • uma economia que contraria a proliferação das armas, especialmente as mais destrutivas,
  • uma economia que se preocupa com a criação e não a saqueia,
  • uma economia ao serviço da pessoa, da família e da vida, respeitosa de toda a mulher, homem, criança, idoso e especialmente dos mais frágeis e vulneráveis,
  • uma economia onde o cuidado substitui o descarte e a indiferença,
  • uma economia que não deixa ninguém para trás, para construir uma sociedade na qual as pedras descartadas pela mentalidade dominante se tornem pedras angulares,
  • uma economia que reconhece e protege o trabalho digno e seguro para todos, especialmente para as mulheres,
  • uma economia onde a finança é amiga e aliada da economia real e do trabalho e não contra elas,
  • uma economia que sabe valorizar e preservar as culturas e as tradições dos povos, todas as espécies vivas e os recursos naturais da Terra,
  • uma economia que combate a miséria em todas as suas formas, reduz as desigualdades e sabe dizer, com Jesus e com Francisco, “bem-aventurados os pobres”,
  • uma economia guiada pela ética da pessoa e aberta à transcendência, 
  • uma economia que cria riqueza para todos, que gera alegria e não apenas bem-estar, pois a felicidade não compartilhada é muito pouco.

Em Matera: quem adora a Deus não é escravo de ninguém

Papa Francisco  na conclusão do 27º Congresso Eucarístico
Papa Francisco em Matera, sul da Itália, 25 de setembro de 2022, na conclusão do 27º Congresso Eucarístico Nacional. Foto EPA/VATICANO MEDIA.

No domingo, 25 de setembro, esteve em Matera, no sul da Itália, para o encerramento do 27º Congresso Eucarístico Nacional, que teve como tema “Voltemos ao sabor do pão – Por uma Igreja eucarística e sinodal”. Numa terra em que quantas vezes as pessoas se sentem subjugadas pelas máfias, o Papa afirmou: “Recordemo-nos disto: quem adora a Deus não se torna escravo de ninguém. É livre!”,

A homilia do Papa centrou-se no tema da Eucaristia de acordo com o Evangelho do dia: a parábola do rico e do pobre Lázaro. O rico não está aberto à relação com Deus porque pensa somente em satisfazer suas necessidades. Não tem um nome, só um adjetivo – rico – porque a identidade é dada pelos bens que possui. “Como é triste também hoje esta realidade, quando confundimos o que somos com o que temos”, afirmou Francisco.

Ao contrário, o pobre tem um nome, Lázaro, que significa “Deus ajuda”, e mesmo em sua condição de pobreza, mantém íntegra a sua dignidade porque vive numa relação filial com Deus.

Sonhamos uma Igreja eucarística, acrescentou o Papa. Uma Igreja feita de mulheres e homens que se oferecem como pão para quem vive na solidão e na pobreza. Uma Igreja que se ajoelha diante da Eucaristia, porque sabe curvar-se com compaixão diante das feridas de quem sofre. “Porque não existe um verdadeiro culto eucarístico sem compaixão pelos muitos ‘Lázaros’ que também hoje caminham ao nosso lado”.

Foto da capa: Papa Francisco participa no evento Economia de Francisco, em Assis, Itália, 24 de setembro de 2022. Economia de Francisco é um processo convocado pelo Papa para lançar as bases de uma nova economia. Foto EPA/CROCCHIONI.

%d blogueiros gostam disto: