Mensageiro de Santo António – Edição abril 2022 – aperitivo

É verdade: celebramos a Páscoa sobre os escombros das destruições e com as feridas ainda abertas que deixam escorrer sangue e lágrimas, na Ucrânia, mas também no Iémen, Nigéria, Síria, Somália, Myanmar, Afeganistão, Etiópia, Burkina Faso, Mali, Paquistão, Iraque, Colômbia, Congo, Sudão do Sul, Palestina e tantos outros lugares…

Por nos bater diretamente à porta, este ano, damo-nos mais conta de que a paixão de Cristo continua em cada homem e mulher espezinhados, tratados como produto descartável que se tritura e destrói em nome de interesses obscuros, mas sempre egoístas e a mando do Deus dinheiro, poder e prestígio. Porém, o véu do Templo rasgou-se e o rasgo de luz e de esperança que se levanta do túmulo vazio de Cristo não deixa dúvidas: “A morte está vencida, Aleluia! Cristo Ressuscitou e nós com Ele! Aleluia!”.

Este mês, em contracorrente, evocamos o vento de esperança trazido pelos tempos da Glasnot e da Perestroika com Mikhail Gorbatchov, falamos de uma outra renúncia pouco falada e na certeza de que a morte não mata a vida.

Estamos cansados de ouvir que precisamos de lideranças fortes, solidárias e empáticas; em tempo de sínodo também essa reflexão se faz… Oxalá o bispo vestido de branco (há nove anos o Papa Francisco) seja inspiração também para os homens vestidos de negro. Ficou perplexo ou desconcertada? Leia o artigo da Inês Espada Vieira, enquanto há tempo.

O caminho sinodal continua nas páginas centrais com a sinodalidade: ação e caminho segundo o bem, uma leitura à sombra dos ventos de guerra que sopram na Europa. E porque o bem, o amor, a justiça e a solidariedade não se alcançam de uma vez para sempre, mas têm de ser conquistados cada dia, há que investir num trabalho laborioso de artesanato da paz ao qual todos estamos convocados.

Os jovens desafiam-nos, pois quem canta, reza duas vezes e com António, jovem inquieto, vamos redescobrir a Sinalética Antoniana, os gestos de António que, ainda hoje, continuam a falar-nos do amor de Deus para com cada homem e cada mulher.

Peçamos à misericórdia do Senhor que tire do nosso coração toda a dúvida e imprima nos nossos corações a fé na sua paixão e ressurreição e unidos com o Papa, toda a Igreja e todo o mundo na consagração da Ucrânia e da Rússia ao imaculado coração de Maria, rezamos: “fazei de nós artesãos de comunhão, guiai-nos pelas sendas da Paz”.

Boas leituras…

Campanha 1000 novos assinantes

Este é apenas o aperitivo. Para ver a edição completa, colabore connosco e faça uma Assinatura beneficiando das condições especiais da Campanha 1000 novos assinantes. Boas leituras!

Se já é Assinante ENTRE e aceda à versão completa.

Foto da Capa: Mãe aconchegando o seu bebé, num bunker, na Ucrânia. Foto 3/3/2022 | Marko Subotin – stock.adobe.com.

%d blogueiros gostam disto: