Introdução à Pintura Rupestre

Em Introdução à Pintura Rupestre, Tolentino Mendonça convida o leitor a percorrer, através da poesia, uma viagem às suas memórias de infância, cruzadas entre as origens madeirenses, a passagem por Angola, as figuras da família e o universo mágico acolhido nas sensações de uma criança. Um trabalho de memória aparentemente banal, mas que se torna excecional, quando é a linguagem poética o espaço onde tal visitação acontece, deixando por momentos o peso exigente do presente para que as origens, o passado e a memória possam ajudar-nos a dizer quem nós somos.

Olhai honestamente para o vosso passado
escondido da rua pelos arbustos
oferecendo-se aos pedaços
naquilo que o rasurado quis extirpar
nos trechos sem relação que vos assaltam no sono
no desabamento, na estranheza
outro nome possível se transcreve».

Afinal, a linguagem poética pode também ser o espaço de aprendizagem para contemplar o passado no que ele tem de figuras, de traços, de breves esboços e sensações difíceis de reconhecer. Estamos habituados às narrativas com que os nossos anciãos nos permitem religar – é esse o significado de religião – com um tempo e um mundo que já não são os nossos. Aqui, a poesia permite, a quem escreve e a quem lê, um acesso diferente, onde as memórias mais frágeis, mais difíceis de colocar por palavras, encontram um caminho de expressão, como uma criança em busca de um nome e de uma passagem.

As crianças párias estarão sempre no meio das querelas
todas iguais e formando uma só raça
vibrando ingenuamente sobre si mesmas
propagando em torno a si um impasse
sem esse impasse porém
não conheceríamos a passagem.

Autor: José Tolentino Mendonça
Título: Introdução à Pintura Rupestre
Editora: Assírio & Alvim
Páginas: 64

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: