Os verbos da Salvação – 8. Descansar e sonhar – II

O sonho é criador. Foto Damir Spanic | Unsplash.

O sonho é criador. O título é criação de uma extraordinária escritora portuguesa, Maria Gabriela Llansol que, ao longo de vários anos, manteve um diário no qual registava as memórias dos seus sonhos. Desse património rebelde – rebelde porque não controlado pela nossa consciência, pelos valores éticos, pelos projetos e tarefas a que dedicamos os nossos dias – Llansol retirou pistas e imagens que encontrariam lugar na sua escrita.

Os verbos da Salvação – 8. Descansar e sonhar – I

Descansar e sonhar. Foto Spring Fed Images | Unsplash

O verbo descansar é tão essencial como qualquer um dos Verbos da Salvação que vimos até ao momento: comer, perdoar, caminhar, meditar, desejar, ouvir e escutar, recordar… Nos últimos 20 anos este verbo tem despertado a atenção de cientistas de várias áreas.

Os verbos da salvação – 7. RECORDAR

Foto Kilarov Zaneit, Unsplash

Os Evangelhos não apresentam discursos teóricos ou doutrinais para expor a sua fé na Ressurreição de Jesus. Para expor o acontecimento pascal, os Evangelhos relatam experiências de encontros pessoais, testemunhas que reconheceram o Ressuscitado. Não apenas que O viram, mas que O reconheceram.

Os verbos da salvação – 7. RECORDAR

Via Láctea Foto ESO/B. Tafreshi, 2014

A sopa de grão-de-bico da avó é que era boa!

Os verbos da salvação: 6. OUVIR e ESCUTAR 2

Cristina Gottardi | Unsplash

Não sendo o primeiro verbo da salvação que meditamos, o verbo escutar é, no entanto, o primeiro verbo de 2021.
Porque é talvez o primeiro, o inicial, o germinal na vida humana e, certamente, na experiência cristã.

Os verbos da salvação: 6. OUVIR e ESCUTAR 1

Cristina Gottardi | Unsplash

Não sendo o primeiro verbo da salvação que meditamos, o verbo escutar é, no entanto, o primeiro verbo de 2021.
Porque é talvez o primeiro, o inicial, o germinal na vida humana e, certamente, na experiência cristã.

Parar é morrer

Santo António Naufrágio na SIcília, ilustração de Luca Salvagno

O Senhor deu-me irmãos Provavelmente, Frei António, quando ainda era o cónego Fernando, membro da venerável e erudita ordem dos Cónegos Regrantes de Santo Agostinho, isto é, quando não lhe …

Ler mais

2. Uma boa notícia dirigida a todos

Deserto-Saudade, Enrique Mirones, Mosteiro de Santa Maria de Sobrado, Galiza

A presença de Deus no nosso ser mais profundo é uma presença de Amor, pois Deus é Amor (1 Jo 4, 5). Tal significa que o mistério de Deus que nos habita e atravessa não se confunde com as vozes que levamos dentro de nós, vozes de medo, de juízo, de remorso, de sermos traídos na nossa confiança. A presença vivificante de Deus torna-se uma energia vivificante, renovadora, sanadora, capaz de iluminar com a luz pascal as escuridões dos nossos sepulcros. Tal é o mistério de fé que subjaz na difícil e bela arte da meditação cristã.

1. Das Avé Marias à neurociência

Deserto-Saudade, Enrique Mirones, Mosteiro de Santa Maria de Sobrado, Galiza

Adelaide Miranda e Rui Pedro Vasconcelos No início havia o Ser humano… … E o ser humano, a par do pensamento rápido, de ação-reação que lhe permite sobreviver num ambiente …

Ler mais

Os verbos da salvação: 3. Caminhar

O Homem que caminha, de Alberto Giacometti, Fundação Louisiana (foto joaquim félix)

João Paulo Costa,presbítero da Arquidiocese de Braga e investigador na área da filosofia Tal como a Quaresma, com a sua memória do caminhar do Povo bíblico no deserto, também o …

Ler mais

%d blogueiros gostam disto: