Caminhar juntos, lado a lado, na mesma direcção

Tony Neves

Tony Neves, padre católico, responsável do Departamento da Justiça e Paz dos Missionários do Espírito Santo.

Tony Neves é um padre católico que trabalha em Roma como responsável do Departamento da Justiça e Paz dos Missionários do Espírito Santo (CSSp, Espiritanos), de cuja congregação é membro. Num artigo publicado na revista online setemargens, a 16 de setembro de 2021, apresentou os 10 grandes temas que o Vademecum propõe para escutar, dialogar e entrar num exercício genuíno de procura de consensos. Aqui fica um excerto do referido artigo, com os devidos agradecimentos.

Há dez grandes temas a refletir e aprofundar:

  1. Quem são os companheiros desta viagem sinodal?
  2. Escutar. Quem está na nossa Igreja particular em “dívida de escuta”? Como ouvimos o contexto social e cultural onde vivemos?
  3. Tomar a palavra. Todos estão convidados a falar com coragem, integrando liberdade, verdade e caridade, usando um estilo comunicativo livre e autêntico.
  4. Celebrar. Caminhar juntos só é possível se nos basearmos na escuta comunitária da Palavra e na celebração da Eucaristia.
  5. Corresponsáveis na missão. Somos todos discípulos missionários. Como é que cada comunidade apoia os seus membros comprometidos num serviço na sociedade (na responsabilidade social e política, na investigação científica e no ensino, na promoção da justiça social, na salvaguarda dos direitos humanos e no cuidado da casa comum, etc.)?
  6. Dialogar na Igreja e na sociedade. Quais são os lugares e as modalidades de diálogo no seio da nossa Igreja particular? Que experiências de diálogo e de compromisso partilhado promovemos com crentes de outras religiões e com quem não crê?
  7. Dialogar com as outras confissões cristãs. O diálogo ecuménico ocupa um lugar particular nesta caminhada sinodal. Que relacionamentos mantemos com os irmãos e as irmãs das outras confissões cristãs? A que âmbitos se referem? Que frutos colhemos deste caminhar juntos? Quais são as dificuldades?
  8. Autoridade e participação. Uma Igreja sinodal é participativa e responsável. Quais são as práticas de trabalho em grupo e de corresponsabilidade?
  9. Discernir e decidir. Num estilo sinodal, decide-se por discernimento, com base num consenso que dimana da obediência comum ao Espírito.
  10. Formar-se na sinodalidade. Que formação oferecemos para o discernimento e o exercício da autoridade?

Nesta fase de consulta, é muito importante que a voz dos pobres e dos excluídos seja escutada. O objectivo final não é produzir documentos, mas “fazer germinar sonhos, suscitar profecias e visões, fazer florescer a esperança, estimular confiança, tratar feridas, entrelaçar relações, ressuscitar uma aurora de esperança, aprender uns com os outros e criar um imaginário positivo que ilumine mentes, aqueça corações, restitua força às mãos”.

Vamos a isso, que se faz tarde!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: