Arlindo de Magalhães Ribeiro da Cunha

Foto da Capa: Padre Arlindo de Magalhães, nos 50 anos de vida presbiterial. Comunidade da Serra do Vilar. Foto MSA 13 agosto 2017.

Arlindo de Magalhães, presbítero desde 1967, faleceu na passada quarta feira, dia 18 de janeiro, aos 79 anos de idade.

O Mensageiro de Santo António une-se à Comunidade Cristã da Serra do Pilar na Páscoa do seu Presbítero, Arlindo de Magalhães Ribeiro da Cunha. O seu corpo estará, a partir de quinta-feira, dia 19 de janeiro de 2023, às 11 horas, na igreja da Serra do Pilar; às 21h30 terá lugar um momento de Oração.

A celebração das Exéquias será na sexta-feira, dia 20, às 10 horas, presidida por D. Manuel Linda, Bispo do Porto.

Mais informações em: http://serradopilar.com/

Arlindo de Magalhães é um amigo do Mensageiro de Santo António desde o seu início, em janeiro de 1985; foi um colaborador incansável e dedicado ao longo dos 39 anos de edição da nossa revista, sendo os seus cadernos especiais muito apreciados pelos nossos leitores. A sua sabedoria e o seu compromisso cívico na divulgação da cultura, do património, da arte, dos costumes, das gentes, dos lugares e da fé do nosso povo deixaram um rasto de valor incalculável nas páginas da nossa revista ao longo das últimas décadas.

Doutorado em Teologia Dogmática na Universidade Pontifícia de Salamanca, foi Professor na Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa no Mestrado Integrado de Teologia (cadeiras de Teologia Pastoral e Teologia e História das Religiões, entre outras).

Presbítero da Comunidade Cristã da Serra do Pilar (Vila Nova de Gaia – Diocese do Porto), os seus interesses, quer académicos quer pastorais, alargaram-se até às temáticas da História da Espiritualidade, dos Cultos e dos Santos, da Literatura à Poesia, da Música ao Cinema; em suma, às linguagens pelas quais perpassa a perceção possível das “coisas de Deus” (Fé) nas “coisas dos homens” (História, Liturgia, Caridade).

A sua vida foi uma luta, à semelhança da vida de Paulo (cfr: 2 Tm 4, 7). Uma fé posta à prova, mas nunca derrotada. Uma vida dedicada à renovação e à unidade da Igreja, um caminhar que não foi fácil, nem simples, mas foi, certamente, empolgante e inspirador.

Arlindo de Magalhães, em Amarante, 10 de janeiro 2023.
Arlindo de Magalhães, em Amarante, 10 de janeiro 2023. À esquerda Mariana Sá; à direita Frei José Augusto, diretor da revista Mensageiro de Santo António.

No passado dia 10 de janeiro, estivemos com ele no Clube Amarantino no lançamento do livro Breve Tratado da Vida e Milagres de S. Gonçalo de Amarante, naquele que foi o seu último ato de participação cívica ativa na divulgação da cultura e da fé.

Caro Pe. Arlindo, o nosso bem hajas. Agradecemos ao Senhor do tempo e da história o dom da tua vida, o tanto que nos deste e o desafio permanente do teu desassossego. Repousa agora no abraço do teu Senhor.

Testemunhos

Caros amigos, conheci este Homem há uns 45 anos, em Coimbra, numa jornada acerca do catecumenado de adultos. Na altura, ele, ainda jovem prebítero, “deu nas vistas” pela sua “irreverência”, sentido crítico, visão da Igreja e do mundo. Depois, durante os seus 30 e tal anos de colaboração no MSA, muito apreciei os seus escritos – documentos históricos de altíssima relevância e que davam prazer (re)ler e saborear.
A sua missão vai continuar no Céu, sobretudo a rezar por todos nós.
Saudações fraternas a todos vós, com votos de um 2023 cheio de esperança,
Jorge Cotovio

Em São Gonçalo de Amarante, junto de amigos, o dia 10 de Janeiro de 2023, dia de São Gonçalo, a cuja investigação ele dedicou uma boa parte da sua vida, foi um dia feliz!
Obrigada
Mariana Sá

Nota de Pesar – Doutor Arlindo Magalhães
É com enorme pesar que os oito Municípios que integram o Caminho Português Interior de Santiago – Viseu, Castro Daire, Lamego, Santa Marta de Penaguião, Peso da Régua, Vila Real, Vila Pouca de Aguiar e Chaves – apresentam o seu mais profundo pesar pelo falecimento do Doutor Arlindo de Magalhães, sacerdote da Diocese do Porto e docente universitário na Universidade Católica, Doutorado no tema dos Caminhos de Santiago e do Património Jacobeu.
A sua dedicação, estudo e obra guiaram (literalmente) os nossos passos no Caminho, desde o início do projeto de reconhecimento e dinamização do Caminho Interior, há quase duas décadas.
O seu exemplo não será esquecido…
Acompanhe o CPSI através dos canais digitais em socialmedia.cpisantiago.org.
Caminho Português Interior de Santiago

Soube há instantes que Arlindo de Magalhães partiu. Quero escrever sobre ele e não consigo. Com profunda gratidão, partilho aqui a primeira parte de um texto escrito há uns dois anos. Talvez diga alguma coisa do muito que queria agora dizer. Ver mais…
Henrique Manuel Pereira

Professor. Mestre. Amigo.
“Alma mater”…
…e tudo o mais que só a Saudade sabe(rá) dizer…
“A-Deus”, Pe. Arlindo. “Ultreia et Suseia!”
Luís Leal

Faleceu ontem dia 18 de janeiro o Padre Doutor Arlindo de Magalhães Ribeiro da Cunha, que muitos gaienses conheceram na igreja do Mosteiro da Serra do Pilar durante anos. Outros o conhecerão mais na vertente académica ou na divulgação dos caminhos antigos do Entre-Douro-e-Minho. Era um Padre, um Homem bom, um Erudito inquieto, um Amigo fraterno. Tínhamos em comum, pelo men, o interesse pelo culto gonçalino, ele na vertente religiosa e teológica de que fez tese de doutoramento em Salamanca; eu na vertente antropológica e etnográfica. Fica a sua obra e a memória de um companheiro de jornadas que não acabam.
J A Gonçalves Guimarães

Tio Papa.
Foi assim que a Paula Albuquerque primeira sobrinha o batizou.
E assim ficou para a vida e para todos da famíliae mais chegados.
Não por ser padre, mas por comer muito!!
Hoje foi…. Partiu….
Padre Arlindo de Magalhães Ribeiro da Cunha
Elsa de Albuquerque

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: