António Secreto

No dia 11 de junho, às 16H30, no Museu de Lisboa – Santo António tem lugar o lançamento do livro “António secreto. A força de um Santo“, com a presença do autor, Nicola Vegro. O livro será apresentado por Frei Severino Centomo, confrade de Santo António.

Veja o Diálogo com o autor

Este romance histórico que conta a vida de um dos maiores santos do Cristianismo e aborda os seus problemas, as suas crises, os seus caminhos e as suas reflexões internas, ganha agora uma edição em português, com a chancela da Paulinas Editora.

Baseado em documentos e textos autênticos escritos pelo próprio Santo António, a edição original italiana, publicada pelo Messaggero di Sant’Antonio, teve supervisão histórica de Luciano Bertazzo, diretor do Centro de Estudos Antonianos e docente de História da Igreja na Faculdade de Teologia de Triveneto. 

A edição portuguesa foi traduzida por Maria da Graça Ferrão e teve a supervisão de Frei Severino Centomo, franciscano e chefe de redação da revista O Mensageiro de Santo António.

Em Coimbra, o lançamento do livro terá lugar no dia 21 de junho, na Igreja de Santo António dos Olivais, às 17H00.

No final de ambas as apresentações, os interessados poderão adquirir o livro, juntamente com a assinatura da revista Mensageiro de Santo António, em condições especiais.

António Secreto, de Nicola Vegro: romance histórico sobre a vida de Santo António.

O primeiro romance histórico sobre Santo António

Uma história inédita, convincente e emocionante, baseada em documentos, personagens e factos históricos que revelam o retrato de um homem corajoso e incansável, com um carácter forte e capaz de se levantar contra o sistema corrupto do seu tempo.

Distanciando-se da tradicional forma hagiográfica de escrever, o autor “deixa de lado os milagres e concentra-se na pessoa de António” seguindo o conselho do frade franciscano conventual Vergilio Gamboso, um dos biógrafos de maior renome de Santo António.

Retrato de Santo António, Girolamo Farobosco (1605-1679), sacristia dos cónegos da Catedral de Santa Maria da Assunção, Pádua.
Retrato de Santo António, Girolamo Farobosco (1605-1679), sacristia dos cónegos da Catedral de Santa Maria da Assunção, Pádua.

O romance transporta-nos para a difícil época de uma Igreja marcada pela corrupção, minada por cismas e correntes heréticas, quase à beira do colapso.

Para o bem comum de toda a Europa é necessário que a Igreja se mantenha unida. António toma conta desta missão, percorre os caminhos da Itália e da França, enfrenta disputas teológicas, desafia senhores gananciosos e prelados corruptos, abre escolas e conventos para preparar uma nova geração de missionários do Evangelho, baseada na coerência entre a vida e o anúncio. Sempre ao lado dos pobres e dos oprimidos, António dá vida a instituições de caridade e, sem se submeter à lógica do mundo, encontra novas soluções para problemas que pareciam intransponíveis.

Gasta a sua vida sem descanso. Em Pádua, durante o último período da sua curta vida, António luta contra a ganância dos usurários; fica ao lado dos devedores insolventes, encarcerados em prisão perpétua e, num gesto sem precedentes, durante a Quaresma, propõe um sermão diário contra os usurários, que apelida de “Bestas amaldiçoadas”.

A sua voz martela as consciências, verga a ganância e aponta novas soluções. O compromisso social e civil de António é recompensado: na segunda-feira da Páscoa de 1231, o Município de Pádua aprova o “Estatuto a favor dos devedores insolventes” graças ao qual, “pela intervenção de Frei António”, como sublinha o documento que ainda se conserva na Biblioteca Cívica de Pádua, os “devedores insolventes são poupados à prisão perpétua e às severas penas que lhes eram infligidas”.

Alguns meses depois, a 13 de junho de 1231, António morre, exausto, com apenas 36 anos.

António Secreto, é um livro que, como evidenciado pelos comentários recebidos dos inúmeros leitores da versão italiana, “restitui a credibilidade à Igreja e reacende a fé”; um livro que “todos os políticos deveriam ler”; um livro que “faz amar ainda mais o grande santo dos milagres, descobrindo nele uma humanidade desconhecida” e, finalmente, mas não menos importante, “um livro que, ao terminar a sua leitura, nos dá a sensação de termos gasto bem o nosso dinheiro”.

A força de um santo, do livro "António Secreto"

Sobre o autor

Nicola Vegro é um realizador italiano, escritor e argumentista, autor de curtas-metragens e de documentários sobre a realidade juvenil, as tradições populares e religiosas e sobre a emigração italiana para os Estados Unidos.

Nicola Vegro

Participou na criação da escola de cinema Ipotesi Cinema.

Dirigiu diversas obras transmitidas pela RAI 1 (Radio Televisão Italiana), entre as quais, La Finestra (A Janela).

Foi assistente do realizador Ermanno Olmi em Lunga Vita alla Signora (Longa vida à Senhora), premiado com o Leão de Prata no Festival de Cinema de Veneza, 1987.

Na década de 90 dirigiu numerosos documentários sobre tradições populares e religiosas do sul da Itália.

Em 1995, escreveu o tema e o guião para o filme Antonio Segreto que, porém, continua à espera de uma oportunidade para ser realizado.

Em 2003, escreveu o guião de Il Natale Rubato (O Natal Roubado), Prémio Mediterrânico no 60º Festival de Cinema de Veneza.
Para a RAI 1 e RAI International fez uma série de documentários, incluindo Seguendo il Sol (3 episódios) e Il Sogno Americano, dedicados à emigração italiana para os Estados Unidos.

Foi professor de “Técnicas de Fotografia” na DAMS de Pádua.

António Secreto, agora traduzido para português e editado pelas Paulinas, é o seu primeiro romance e foi editado em Itália pelo Messaggero di Sant’Antonio, no ano de 2019.

%d blogueiros gostam disto: