Milagres de Santo António em Azulejo – Exposição temporária

Santo António tornou-se célebre pelo conhecimento que tinha das escrituras e pela eloquência dos seus sermões, que atraíam milhares de pessoas que se reuniam para o ouvir.

Mas ao longo dos séculos a sua fama de taumaturgo vai crescendo através da difusão de histórias que salientam o seu poder de intervenção, reforçam a prática da sua vida no combate às heresias e na afirmação dos dogmas da igreja.

Da enorme quantidade de milagres que lhe são atribuídos, há um restrito conjunto de relatos que será sistematicamente reproduzido e divulgado em todo o mundo, nos mais variados suportes. Inscreve-se neste movimento a representação em painéis de azulejos que acompanha a crescente popularidade de Santo António ao longo dos séculos, quer em igrejas e conventos, quer à entrada das casas, em fontanários ou nas tradicionais alminhas populares.

Estas representações dos milagres funcionam como uma catequese audiovisual, ao resumir toda a história que se pretende contar numa imagem, transmitindo os ensinamentos da igreja e relembrando ao devoto a importância e o poder de intervenção do Santo.

No Museu de Lisboa – Santo António está patente, até final de outubro de 2021, a exposição de um conjunto de painéis provenientes da Capela de Nossa Senhora da Graça, na Quinta das Águas Férreas, em Caneças, embora primitivamente estes azulejos não pertencessem a esta capela, desconhecendo-se o local de origem.

O conjunto é constituído por sete painéis em faiança com pintura a azul sobre branco. Da fase de transição do barroco para o rococó, o emolduramento destes azulejos é caracterizado pela leveza ornamental, comparativamente com os enquadramentos barrocos anteriores, mais pesados e teatrais.

A complementar a exposição, apresentam-se vários elementos iconográficos dos milagres representados, testemunhos da popularidade desses episódios: Aparição do Menino Jesus, Sermão aos Peixes, Milagre do Prato Envenenado, Milagre de Salvar o Pai da Forca e Milagre da Eucaristia ou da Mula.

Foto da capa: Sermão de Santo António aos Peixes, Painel de Azulejos, Autor desconhecido, Séc. XVIII (meados), MA.AZU.0007.

%d blogueiros gostam disto: