Na escola atrás das grades

Sabina Fadel
Messaggero di Sant’Antonio, giugno 2021
Tradução e adaptação Frei José Carlos Matias

A escola na prisão é uma oportunidade de resgate e reparação. A escola infunde esperança e fornece ferramentas para um novo começo. É por isso que a Caritas Antoniana decidiu apoiar este projeto, nestes tempos de pandemia em que recomeçar é tão importante para todos.

A reabilitação dos cidadãos presos é um direito dos mesmos e um dever do Estado, mas é, também, extremamente conveniente para o Estado e, portanto, para todos nós.

Os dados indicam que, atualmente, 68% dos reclusos, uma vez libertados da prisão, voltam ao crime. Porém esta percentagem cai drasticamente para 19% entre os que puderam usufruir de oportunidades de formação e emprego durante o período de reclusão.

Na prisão de Sollicciano, na periferia oeste de Florença, Itália, há uma aposta séria nesse sentido. Um Instituto de Ensino Superior Técnico e de Ensino Médio de Florença atua aqui há mais de vinte anos. Explica a diretora:

Os alunos têm acesso aos Cursos de Administração, Finanças e Marketing, Preservação do Ambiente e do Território.
O ensino na prisão é uma experiência muito intensa. Os alunos, de várias nacionalidades, origens geográficas e idades (muitos jovens), estão motivados, atentos, participam com entusiasmo nas aulas e respeitam verdadeiramente os professores. Muitos nunca frequentaram o ensino médio, mas há também os que andaram na escola por andar e que agora se aplicam nos cursos mais profissionais perspetivando a sua reinserção no mercado de trabalho pós-prisão.

A escola é também uma ocasião de socialização e de descoberta do próprio potencial. Há algum tempo atrás, por exemplo, os alunos da prisão participaram e ganharam um concurso para jovens escritores, graças à capacidade de dar voz com rara sensibilidade às suas histórias de sofrimento, à sua saudade, ao seu arrependimento e ao seu remorso pelos erros cometidos.

Para os nossos alunos vir à escola é muito importante, não só porque a escola perspetiva um futuro e oferece uma possibilidade de redenção do erro, mas também porque lhes permite passar algumas horas fora da cela, no espaço que o presídio reservou para o efeito, onde, além das salas de aula, funciona, também uma biblioteca.

Uma das carências era a falta de equipamentos tecnológicos. A Caritas Antoniana doou quadros interativos e novos meios informáticos tanto para o ensino à distância como para o estudo quotidiano em sintonia com as necessidades atuais da escola e do trabalho.

A falta de formação escolar e profissional é uma das causas que empurra a vida destas pessoas por caminhos errados. A escola não é apenas uma oportunidade de redenção, mas um tempo favorável para repensar o próprio ser e construir um projeto de vida sustentável, equilibrado e com futuro.

Foto da capa: Blaz Photo | Unsplash

%d blogueiros gostam disto: