Redes de esperança

Em Kunthukal, na Ilha Rameshwaram (Tamil Nadu – Índia), 25 mulheres, viúvas de marinheiros e pescadores, retomaram a produção de redes de pesca, com a preciosa ajuda da Caritas Antoniana.

Kunthukal é uma pequena aldeia indiana de pescadores, localizada na ilha Rameshwaram, na diocese de Sivagangai. Dezenas de pequenos barcos navegam dia e noite nas águas cristalinas favoráveis à pesca. A produção de redes para a pesca garante um salário digno e naquela zona é necessário produzir muita rede.

Infelizmente, devido à propagação da pandemia Covid-19, houve um revés económico. Muitas estruturas tiveram que fechar, com prejuízos consideráveis para aquela economia que já era precária. Entre as estruturas afetadas encontra-se uma cooperativa composta por 25 mulheres, viúvas, que perderam os maridos em acidentes de navegação ou em conflitos no mar com a Marinha do Sri Lanka. Ao ficarem viúvas não desistiram, mas uniram as suas forças para garantir um futuro para os seus filhos órfãos.

Kamali, de 45 anos, ficou viúva há 10 anos atrás. Criou a filha que concluiu o ensino médio. O seu salário era o único rendimento da família. Nos últimos tempos, deixou de haver trabalho e ela tinha caído numa grave depressão. Felizmente chegou a ajuda da diocese e da Caritas de Santo António para relançar a cooperativa.

A minha vida está a mudar aos poucos. Conseguimos vender os nossos produtos nos vários distritos e o comércio está a dar os seus frutos. Se for sempre assim, no ano que vem poderei financiar o casamento da minha filha.

O trabalho de Kamali e das outras mulheres é uma síntese de criatividade e destreza, qualidades que, com a sensibilidade feminina, tornam os produtos ainda mais originais. O trabalho destas mulheres vai desde a idealização dos modelos de rede à compra da matéria-prima, da fabricação e promoção das redes à sua venda.

A compra de matérias-primas foi sempre garantida por um sistema de crédito. Infelizmente, o imposto administrativo sobre bens e serviços criou problemas de abastecimento, com um impacto significativo na produção e nos ganhos das mulheres e na sobrevivência da família. Foi neste momento que o Serviço Social da diocese de Sivagangai pediu ajuda à Caritas de Santo António.

A Caritas Antoniana acolheu o pedido e doou um montante de 390 084,00 Rúpias (cerca de 5000 €). Com esta ajuda relançou-se o negócio com uma nova estrutura organizacional, que inclui a formação de uma comissão gestora e uma equipe de produção que tem como missão a aquisição de matéria-prima através de fornecedores confiáveis. A produção já conta com dois turnos: um de manhã e outro de tarde. A operação de marketing começou para estender a venda a outras zonas. O projeto terá, portanto, um impacto positivo sobre os beneficiários e o meio ambiente.

A ajuda da Caritas Antoniana foi fundamental para esta população, que vive uma crise económica generalizada, num clima político que não favorece o desenvolvimento.

O impacto na economia familiar é positivo, mas também no meio ambiente, pois o projeto exige que os pescadores não deixem redes gastas ou danificadas no mar. Porque, para estas mulheres, o mar não é apenas fonte de subsistência, mas também uma memória indelével de quem foi companheiro de vida. Se ontem o mar lhes tirou um afeto importante, hoje o mar restitui a serenidade e a confiança num futuro melhor.

%d blogueiros gostam disto: