fbpx

Festa de Santo António

Homilia de Dom Virgílio

Homilia do Bispo de Coimbra, Dom Virgílio do Nascimento Antunes, no dia de Santo António, na Igreja de Santo António dos Olivais – Coimbra

Na festa de Santo António, o Bispo D. Virgílio Antunes, Bispo de Coimbra, conseguiu oferecer aos fiéis que participaram na Missa, em forma presencial bem como pelas redes sociais, um resumo incisivo da figura de Santo António, da sua mensagem e do seu testemunho de vida. Destacamos algumas passagens:

“Santo António, tocado pelo jeito franciscano de acolher e viver o Evangelho, levantou-se do meio de nós, passou pela nossa cidade dos homens e apontou-nos de forma exímia os mesmos caminhos da sabedoria que nos salva.

Como cidadãos de Coimbra e do mundo, não podemos menosprezar o seu testemunho nem deixar passar em vão o seu modo de viver o Evangelho, tipicamente franciscano, o que é muito mais do que qualquer forma histórica de franciscanismo. A sua vida remete, acima de tudo, para o cristianismo, no sentido mais pleno deste termo, usado frequentemente de forma tão superficial e redutora do seu verdadeiro conteúdo.

Para Santo António, dizer cristianismo significou infinitamente mais do que dizer cultura ou civilização cristã, como um sistema estruturado de ideias e de valores, pois foi  acima de tudo assumir Cristo enquanto pessoa, palavras, obras, sentimentos, mas também Cristo como Igreja, Povo de Deus, homens e mulheres todos irmãos, verdade em que se acredita, horizonte de verdadeira vida no tempo e na eternidade, amor que se reparte e esperança que nos anima”.

Referindo-se à inquietação interior que caraterizou toda a vida de Santo António, diz o Bispo: “Pela história e pela sua biografia, sabemos que foi homem inteligente e culto, desejou ardentemente conhecer os mistérios de Deus, da humanidade, da criação, da ciência, fazendo uma síntese harmoniosa entre a fé e a razão, entre o conhecimento humano e as ciências teológicas, realidades que a muitos parecem antagónicas, mas que a ele apareceram como caminhos de procura de uma única sabedoria divina. A sua fé potenciou o crescimento do desejo de conhecer inscrito na sua condição humana, e a sua ciência adquirida pelo estudo e pela experiência de vida julgou e afinou o seu modo de acreditar, de amar e de viver”.

Enfim: “Santo António procurou sempre estudar, conhecer e compreender todos os mistérios para melhor acreditar; sempre se dispôs a crescer numa fé pessoal e acolhida como um dom, ou seja, a acreditar, para melhor conhecer tudo o que pela revelação e pela inteligência humana nos é dado compreender”.

Homilia do bispo de Coimbra, Dom Virgílio do Nascimento Antunes
%d blogueiros gostam disto: