JUBILEU significa alegrar-se

Palavras do Frei Severino Centomo, guardião do Convento Franciscano de Santo António dos Olivais de Coimbra, na Conferência de Imprensa de apresentação do Jubileu 2020, que marca os 800 anos dos Mártires de Marrocos e da vocação franciscana de Santo António, no dia 14 de outubro de 2019, na Sala do Capítulo do Mosteiro de Santa Cruz.

Frei Severino, do Convento de Santo António dos Olivais de Coimbra, apresenta os objetivos do Jubileu 2020, Foto MSA 2019

Jubileu vem da palavra latina jubilum, que significa exultar, alegrar-se, rejubilar. Portanto, Ano Jubilar significa viver um ano especial, marcado pela alegria e pela festa. A Igreja chama este ano, também, “Ano Santo”, porque, sendo só Deus Santo, este ano terá uma característica divina: a santidade, isto é a bem-aventurança eterna, a felicidade maior que nós nem sequer podemos imaginar, mas que Deus oferece aos pobres, aos que choram, aos mansos, aos que têm fome e sede de justiça, aos misericordiosos, aos puros de coração, aos obreiros da paz e aos que sofrem perseguição por causa da justiça.

Mártires de Marrocos na Igreja de Santa Cruz de Coimbra
Mártires de Marrocos na Igreja de Santa Cruz de Coimbra. Foto MSA 2019.

Mártires de Marrocos e Vocação Franciscana de Santo António

O Jubileu que iremos celebrar, “Jubileu 2020”, é motivado por figuras que nos tocam de perto, pois são pessoas que viveram na nossa cidade de Coimbra e que aqui deixaram uma marca particular: os primeiros franciscanos que foram enviados a anunciar o Evangelho em terras muçulmanas e que ali sofreram o martírio e Fernando Martins de Bulhões que, na altura, monge no mosteiro de Santa Cruz, ficou cativado pelo testemunho desses mártires e decidiu abraçar a vida evangélica radical de Francisco de Assis e entrou na mesma Ordem, assumindo o nome de António.

Todos podem participar

As paróquias de Santa Cruz e de Santo António dos Olivais sentiram-se logo impelidas para dar corpo ao sonho de um “Ano Jubilar”. Elas, porém, entenderam que não podiam avançar sozinhas neste projeto, porque essas figuras jubilares pertenciam a todo o povo, cristão e não cristão. Por isso, abriram-se à participação das Autoridades públicas, nomeadamente a Câmara Municipal de Coimbra, às freguesias da cidade e ao Turismo do Centro de Portugal. Abriram-se, também, à Família Franciscana Portuguesa e a outras entidades que quiseram associar-se.

Fazer memória para sonhar o futuro

Os objetivos do Ano Jubilar podemos resumi-los sinteticamente nesta expressão: fazer memória dos feitos daqueles homens que marcaram admiravelmente a nossa história, para renovarmos a nossa vida e a nossa época histórica. Para conseguirmos isto, reconhecemos que é necessário “voltar ao Princípio”, isto é, à própria Fonte da vida que ofereceu aos homens a possibilidade de viver neste mundo na justiça e na paz, na alegria e no amor. É possível sonhar um mundo novo, mais justo e fraterno!

Concretamente, estes objetivos passam por quatro áreas: celebrativa, formativa, cultural e espiritual. Pretendemos, desta forma, abranger todos os aspetos da pessoa humana, para ela poder entrar num processo de profunda renovação humana e espiritual, em benefício não só individual, mas comunitário e social.

Finalmente, o que nos move, neste projeto, não é um sucesso rentável ou uma procura de vanglória pessoal, mas, simplesmente, é a nossa gratidão aos Santos Mártires e a Santo António, que foram, e são, figuras exemplares de cidadania e de santidade, de zelo apostólico e de solidariedade humana.

Veja também o sítio oficial: www.jubileu2020.pt

Valorizamos a opinião dos nossos leitores...

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: