Uma rosa como resposta ao ódio

A foto é emblemática: um homem, que aparenta ter mais anos do que na realidade tem, marcado pelas tribulações e pela dor, ajoelha-se e oferece uma rosa e uma lágrima, ao pé da cruz que recorda mais uma matança motivada pelo ódio.

É inexplicável o que o ódio pode provocar, mas é ainda mais assustadora a reação da maioria das pessoas que, diante destes acontecimentos, pede ainda mais violência e invoca a pena capital. Pelo contrário, este homem, curvado até ao chão no gesto de oferecer a rosa, recorda algo de profundo e sublime: só pela beleza do amor e pelo perfume da ternura é possível vencer o ódio e a violência.

Estamos a viver um verão anómalo: as condições ambientais e atmosféricas estão em sobressalto, a sociedade parece caminhar para uma conflitualidade cada vez maior, as pessoas estão tomadas pelo medo e pela desconfiança; parece que o nosso mundo em vez de ir para frente, vai para trás. E perguntamos: o que está a acontecer?

O cardeal Walter Kasper, num livro intitulado O Deus de Jesus Cristo, afirma que a presença de Deus no mundo foi, a pouco e pouco, banida da esfera pública ficando relegada apenas para a esfera do privado. Em consequência, valores evangélicos como a mansidão e a humildade estão a desaparecer da vida pública e, na política, são até considerados nocivos.

Que fazer, então? O mesmo cardeal responde: é preciso que Deus se afirme como verdade positiva para o homem e a convivência social, sem cair nos esquemas da política humana. “Quando já não existe o que é o mais do homem e do mundo, então afirma-se a ideologia da adaptação total ao mundo do consumo e das relações sociais, mas, desta forma, morre a liberdade e o homem volta para trás, regredindo ao estado primitivo de animal engenhoso e apagando em si mesmo toda a fome e sede de justiça absoluta”.

Todavia Deus, que é misericordioso e compassivo, quando encontra um só justo na cidade dos homens, está disposto a perdoar e a dar-nos a vida (cfr. Gn 19, 23-32). É por isso que, para combater o ódio basta uma rosa

Valorizamos a opinião dos nossos leitores...

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: