Lágrimas de São Lourenço

A Terra é um ponto minúsculo perdido na imensidão do universo. Quando olhamos o céu, à noite, num dia de Lua Nova, sem nuvens e sem poluição luminosa, temos a ilusão de ser o centro do universo e podemos maravilhar-nos a descobrir estrelas e planetas e a desenhar com os olhos as diferentes constelações. Agosto é um ótimo mês para observar os astros no céu e até podemos ver estrelas cadentes e pedir um desejo.

Sabe o que é a Lua Negra?

Este agosto tivemos duas luas novas, uma no dia 1 e a outra, passados 29 dias e meio, no dia 30. Quando há duas luas novas no mesmo mês, a segunda designa-se popularmente por “Lua Negra”. Naturalmente, tratando-se de uma lua nova, não vamos conseguir vê-la, pois nessa fase é o lado noite da Lua que está virado para a Terra.

Este fenómeno da Lua Negra não é assim tão raro, ocorrendo a cada dois ou três anos. A próxima Lua Negra será a segunda lua nova do mês de abril de 2022.

A Lua Negra é o fenómeno oposto ao da Lua Azul, quando ocorrem duas luas cheias no mesmo mês. A próxima Lua Azul será a 31 de outubro de 2020.

Júpiter brilhante no céu

Nesta altura do ano podemos encontrar facilmente Júpiter, basta procurar o que parece ser uma estrela brilhante, virada a Sul ao anoitecer. Também Saturno é visível. Júpiter e Saturno estão próximos da constelação do Sagitário. Com as estrelas mais brilhantes desta constelação é fácil desenhar um bule de chá. Saturno está logo à esquerda do bule, enquanto Júpiter fica à direita. É também possível observar, em diferentes momentos da noite, Marte, Mercúrio e, naturalmente, Vénus.

O telemóvel pode ajudar
Se não aprendeu a olhar o céu e a conhecer as estrelas, constelações e planetas, pode descarregar uma aplicação no telemóvel e apontar para o céu. A aplicação dir-lhe-á a localização e os nomes, mas para ver mesmo os planetas, tem de estar à hora certa, no lugar certo e num local sem poluição luminosa.
Exemplos de aplicações para observar o céu: Star Walk, SkyView, Starlight, Sky Map, Night Sky…

O “Bule de Chá” de Sagitário, virado a Sul, às 22:00 do dia 15 de agosto de 2019, com Saturno, à esquerda, e Júpiter, à direita. Imagem: Ricardo Cardoso Reis/Stellarium.
O “Bule de Chá” de Sagitário, virado a Sul, às 22:00 do dia 15 de agosto de 2019, com Saturno, à esquerda, e Júpiter, à direita. Imagem: Ricardo Cardoso Reis/Stellarium.

Chuva de estrelas, Perseidas ou Lágrimas de São Lourenço

Em Agosto é possível, ainda, observar, entre os dias 8 e 14, uma das mais importantes “chuva” de meteoros de todo o ano, as estrelas cadentes conhecidas por Perseidas, sendo o pico na noite de 12 para 13, com cerca de 100 meteoros por hora.

A tradição popular batizou este fenómeno com o nome de lágrimas de São Lourenço, pelo facto de o mesmo coincidir com a sua festa litúrgica, que se celebra a 10 de agosto, dia da sua morte, que ocorreu no ano de 258.

O fenómeno das Perseidas deve-se ao facto de o planeta Terra atravessar, nessa altura do ano, uma região do espaço semeada de meteoróides, pouco maiores do que uma ervilha, que polvilham o caminho percorrido pela cauda do gigante cometa periódico Swift-Tuttle na sua órbita ao redor do Sol, a qual demora 133 anos terrestres! O primeiro registo de observação da passagem do cometa é de origem chinesa e data do ano 69 aC. O último ocorreu em 1992, data da sua redescoberta.

Como acontece com qualquer cometa, quando se aproxima do Sol, o aumento brutal da temperatura faz com que pequenos fragmentos do núcleo se desprendam e fiquem no espaço na trajetória da sua órbita. Em Agosto, a Terra atravessa o rasto meteorítico da órbita do Swift-Tuttle, pelo que um observador no hemisfério norte tem a sensação de contemplar uma chuva de meteoróides que aparentam jorrar de uma única origem na esfera celeste, próxima da constelação de Perseus.

São Lourenço, o mártir dos pobres que faz chorar as estrelas

São Lourenço era natural de Huesca ou Valência, na Hispânia. Foi diácono em Roma na altura do Papa Sisto II.
O cargo de diácono era de grande responsabilidade, pois consistia no cuidado dos bens da Igreja e no serviço da caridade ajudando os pobres, as viúvas e os necessitados.
No ano 257, o imperador romano Valeriano decretou a perseguição aos cristãos e, no ano seguinte, foi detido e decapitado o Papa Sisto II.
Após a execução do Papa, São Lourenço foi chamado pelo imperador romano e instado a apresentar todas as riquezas da Igreja dentro de três dias. São Lourenço levou consigo dezenas de pobres e fiéis da Igreja e exclamou: “Estes são o património da Igreja”. Perante este ato corajoso e provocador, o imperador ordenou que Lourenço fosse assado vivo numa grelha sob um braseiro ardente. Conta a tradição que terá dito ao carrasco “Vira-me, que já estou bem assado deste lado”.
Por isso São Lourenço é padroeiro dos cozinheiros e dos humoristas. Na sua iconografia é quase sempre representado com a palma do martírio, a Bíblia e uma grelha que evoca a sua morte.


Com base em artigos de António Piedade e Ricardo Cardoso Reis, do repositório “Ciência na Imprensa Regional”, uma iniciativa da “Ciência Viva – Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica”.

Valorizamos a opinião dos nossos leitores...

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: