Dar as mãos

Chegou o tempo em que as religiões se esforçam corajosamente para promover a reconciliação da família humana.

Papa aos líderes religiosos: vamos construir juntos o futuro ou não haverá futuro

Sedentos de paz, como São Francisco, o “Mensageiro de Santo António” segue com atenção a viagem do Papa Francisco, aos Emirados Árabes Unidos, que tem lugar no oitavo aniversário do encontro histórico de Francisco de Assis com o sultão Malik al-Kamil.

Ontem, como hoje, precisamos de palavras que se concretizem em gestos. As orientações do Santo de Assis, ditadas em 1219, tornam-se, hoje, as atitudes que animam o diálogo, a fraternidade e a paz entre os povos.

As imagens que chegam, a todo o mundo, de Francisco, do príncipe herdeiro e do grande imã permanecerão na história e mostram à humanidade que é possível um novo modo de ser, de agir e de viver.


FOTO: O Papa Francisco aperta a mão do grão-xeque Ahmed al-Tayeb, chefe da Al-Azhar, a principal instituição islâmica do mundo sunita, à chegada para uma reunião com os membros do Conselho Muçulmano de Anciãos na Grande Mesquita do Xeque Zayed, em Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos, 04 de fevereiro de 2019. EPA / VATICANO.

Valorizamos a opinião dos nossos leitores...

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: