2019: 800 anos da partida dos mártires de Marrocos para África

Neste ano de 2019, assinalam-se os 800 anos da partida de cinco frades franciscanos para o norte de África, que ficarão conhecidos como os cinco mártires de Marrocos.

Enviados por São Francisco de Assis para evangelizar em terras muçulmanas, os frades Berardo, Otto, Pedro, Adjunto e Acúrcio chegaram a Portugal, em 1219 e passaram por Coimbra, onde foram acolhidos pela rainha D. Urraca (mulher do rei D. Afonso II). É também nesta cidade que o então cónego regrante de Santo Agostinho, Fernando de Bulhões, futuro Santo António, os terá conhecido e recebido no Mosteiro de Santa Cruz. Impressionado pelo despojamento, fervorosa fé e alegria destes frades, vê-os partir numa missão que irá mudar para sempre a sua vida.

Os cinco frades passam ainda por Alenquer, um dos primeiros conventos franciscanos em Portugal, onde a infanta D. Sancha (irmã do rei) os ajuda a prosseguirem o seu caminho. A jornada leva-os a Sevilha, onde são presos por pregarem junto a uma mesquita. Após serem soltos, são enviados para Marraquexe onde, depois de insistentes pregações, serão novamente presos e por fim martirizados, a 16 de janeiro de 1220.

Os seus corpos serão enviados pelo infante D. Pedro (irmão do rei D. Afonso II) para Coimbra e recebidos no Mosteiro de Santa Cruz, acontecimento que marcou profundamente Fernando de Bulhões e que o leva a uma mudança radical de vida: torna-se franciscano, muda o nome para António e parte para o norte de África em busca do martírio, repetindo os passos dos seus irmãos. n

Valorizamos a opinião dos nossos leitores...

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: