António: Mais do que de Lisboa ou Pádua, é «o santo» (c/vídeo)

Franciscanos Conventuais estão em Coimbra há 50 anos, no lugar onde Fernando de Bulhões decidiu seguir São Francisco de Assis

Coimbra, 12 jun 2018 (Ecclesia) – Frei Severino Centomo, da província dos Franciscanos Conventuais, disse que António é “o Santo”, mais do que de Lisboa ou Pádua, e referiu que a congregação está a assinalar 50 anos de presença em Portugal.

“É o santo! É mais do que suficiente”, afirmou o frade franciscano à Agência ECCLESIA.

A congregação dos Frades Menores Conventuais fixou-se em Coimbra em 1978, na paróquia de Santo António dos Olivais, concretizando um projeto dos franciscanos responsáveis pela Igreja de Santo António em Pádua, onde morreu o santo português.

“Era pena que os frades que conservam o corpo de Santo António não pudessem voltar para a sua terra natal”, referiu frei Severino Centomo.

Para assinalar os 50 anos de presença em Portugal, os Frades Menores Conventuais publicaram uma obra que reúne a história de cinco décadas, contada por leigos que escreveram sobre o trabalho dos seguidores de Santo António e São Francisco de Assis.

“Não é apenas o livro dos frades. É o livro das pessoas que procuraram viver a novidade do Evangelho hoje a partir do estilo que viram em nós”, afirma frei Severino Centono, que coordenou a publicação.

O dia de Santo António é celebrado em Coimbra a 13 de junho, após um tríduo de preparação, com a celebração da Missa e a procissão pelas ruas da paróquia de Santo António dos Olivais, “um momento muito significativo para a cidade”.

“Mais de um milhar de pessoas participam, apesar de ser dia da semana”, refere.

Frei Severino Centomo acrescenta que a festa com todas as pessoas é no domingo seguinte ao 13 de junho, quando “todas as capelas que compõem a paróquia participam num momento de convívio durante todo o dia, a partir da celebração da Eucaristia do meio dia”.

“Almoçamos juntos, convivemos juntos toda a tarde. É importantíssimo conhecermo-nos através da simpatia e da beleza da vida”, sublinha.

Frei Severino acrescentou também que, para além da dimensão popular e solidária das devoções a Santo António, procuram dar a conhecer o missionário e o pregador através da edição portuguesa da revista ‘O Mensageiro de Santo António’, publicada em Itália há quase 150 anos.

“O que se pretende com esta revista é ajudar as pessoas a despertar para o melhor que temos, o tesouro do Evangelho”, afirmou frei Severino Centomo, acrescentando que a publicação quer divulgar o que “Santo António pregou, a beleza do Evangelho”.

“Através da entrega total e da força dos milagres, conseguia converter as pessoas, mudar as pessoas”, concluiu.

A liturgia católica celebra Santo António no dia 13 de junho, presbítero e doutor da Igreja, padroeiro secundário de Portugal.

PR (Agencia Ecclesia) – http://www.agencia.ecclesia.pt/portal/antonio-mais-do-que-lisboa-ou-padua-e-o-santo/

 

Valorizamos a opinião dos nossos leitores...

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: