Nos passos de Santo António

Programa na RTP 1 transmitido a 13 de junho de 2017.

Nos Passos de Santo António é um documentário que resulta da adaptação do livro homónimo de Gonçalo Cadilhe, publicado em finais de 2016, que cruza viagens, história da Europa, depoimentos académicos e teológicos e uma forma leve e agradável de divulgar as raízes da nossa identidade cultural e das do Padroeiro popular de Lisboa.
A vida de Santo António permite uma grande história, uma grande viagem e um grande documentário de viagens, não apenas nos lugares físicos por onde passou, mas também pelo tempo em que viveu.

Edição de julho/agosto 2017

A edição de julho/agosto de 2017 seguiu para impressão e brevemente será enviada para os assinantes.

Deixamos aqui uma pré visão do que será a revista.

Estamos a trabalhar para disponibilizar aos nossos assinantes a versão online completa.

Desejamos umas boas férias para todos, aproveitando o tempo para retemperar forças e cuidar bem da nossa casa comum.

Livres e centrados na essencialidade do Evangelho

Nos “800 Anos da Presença dos Franciscanos em Portugal”, o Correio de Coimbra entrevistou o Frei Severino Centomo (Frades Menores Conventuais) e pediu dois testemunhos históricos da presença franciscana na diocese de Coimbra (Frades Menores: Frei Marques Novo. Clarissas: Irmãs Clarissas do Louriçal). Completa este “dossier” o Enfoque, de Secundino Correia, leigo não franciscano, mas com grande proximidade aos mesmos através da paróquia de Santo António dos Olivais.

Veja o PDF da página inicial e páginas centrais do Correio de Coimbra, de 8 de junho de 2017.

Correio de Coimbra 8 junho 2017

Oito Séculos de PRESENÇA FRANCISCANA “Memória e Vivência”

JORNADAS em COIMBRA – Programa

16 e 17 de Junho de 2017 | Local: Convento de São Francisco

Vendo o nosso bem-aventurado Pai Francisco, como o Patriarca Jacob, que o número das pessoas que o seguiam crescia e que a sua descendência se multiplicava como as estrelas do céu, desejando, conforme a revelação que lhe tinha sido feita, que fosse levada através dos seus filhos às quatro regiões do mundo e que a grande árvore da sua Ordem estendesse os seus ramos até aos confins da terra, num capítulo geral enviou os seus frades por todos os países do mundo, nos quais se professava a fé católica.

(Chronica XXIV, Paixão dos Santos Mártires de Marrocos, 1, século XIV)